Sexualidade é sinônimo de diversidade?

Vamos abordar este tema sobre duas perspectivas?





1) Empresarial e suas vantagens e desvantagens;

2) Pessoal e familiar, tambem sob uma ótica reflexiva.


Vamos falar a verdade, de que diversidade se fala nas organizações? Ao que tudo indica, como diria o Leão Lobo, “na contramão”, diversidade virou sinônimo de contratar minorias. A questão é, qual a diversidade se quer buscar. E quais pessoas está se falando. Quando a diversidade não está legitimada inconscientemente pela organização, as minorias tendem a não se sentir acolhidas. Como qualquer ser humano em um grupo que não compartilha dos seus valores e jeito de ser! Todo ser humano tem diversas habilidades e talentos. Qual o medo do “não-igual” está se evitando, e defendendo qual suposto espaço?



A diversidade é realmente um grande desafio, e acredito que vai levar muitas centenas de anos, para talvez, se tornar algo habitual.


Com relação à sexualidade no âmbito pessoal e familiar, é tão complexa quanto no organizacional. Mas aqui se trata de um

núcleo que, é responsável por boa parte da socialização do sujeito (aqui falo de todas as possibilidades que a sexualidade pode tomar, e não de sexo). Os modelos aprendidos no núcleo familiar, são promulgadas na vida adulta. Aquilo que era considerado um desvio é proibido em tenra idade, o será também na vida adulta. A fôrma grupal, os papéis familiares, se repetem na vida adulta. E vão para as escolas, instituições e organizações públicas, e empresas. Como exemplo, um(a) chefe vai repetir seus preconceitos, de alguma forma, mais explícita ou menos.




Gestor: quais as suas angústias e/ou dificuldades diante do tema? Qual o método mais eficaz de colocar o tema para funcionar?


Supervisão e consultoria podem ser de grande auxílio nestas horas.


Colaborou,

Dr. Diogo Lacerda

Psicólogo e Psicanalista

CRP/06-145759

(11)98784-3952



15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo